Para percorrer bem tal itinerário, recebemos como auxílio e companhia, a Liturgia de cada dia, com um cardápio substancioso e variado, regado pela Palavra de Deus. A celebração cotidiana da Eucaristia nos oferece complementarmente o Pão da Palavra e o Pão da Eucaristia, e assim vamos confrontando a nossa vida, re -assumindo com maior empenho e seriedade o nosso compromisso de adquirir uma existência “ cristiforme ”, onde cada vez mais vamos nos “ configurando a Cristo ”, desejando “ter em nós os mesmos sentimentos que havia nele” (Fl 2,5). tornando-nos “ semelhantes a Ele ” (Fl 3,10) por meio de um conhecimento que não deseja ser apenas teórico, mas relacional. Já no Primeiro Domingo, recebemos como alimento este belíssimo trecho do Evangelho de Lucas (Lc 4,1-13), onde nos foi apresentado o relato das tentações de Jesus. E neste relato, rico de movimento, chama a minha atenção já os primeiros versículos: “ Repleto do Espírito Santo , Jesus voltou do Jordão, e era conduzido pelo Espírito através do deserto ” (Lc 4,1). O que é nos faz superar as tentações que se apresentam no nosso caminhar cotidiano? O que é que nos faz continuar fazendo opção por Deus e seu Projeto, pelo Reino de Deus, mesmo diante das forças do anti-reino que se infiltram na nossa caminhada? O que é que nos faz continuar cada dia de novo refazer a nossa opção pelo seguimento de Jesus na fidelidade do discipulado mesmo quando nos sentimos fracos e limitados?
Iniciamos o período do Ano Litúrgico denominado QUARESMA: quarenta dias. Mas, quarenta dias para quê? A Igreja nos propõe uma grande pausa, um prolongado tempo de retiro de 40 dias aos longo dos quais somos convidados a uma séria revisão de vida. Poderíamos dizer ainda que somos convocados a uma intensa faxina interna e externa, através da qual retiramos do centro das nossas opções todas as realidades que não condizem com o Projeto de Deus para a nossa felicidade.
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípulas de Jesus Eucarístico
“Repleto do Espírito Santo, Jesus voltou do Jordão, e era conduzido pelo Espírito através do deserto” (Lc 4,1)
Com Jesus e como Jesus repletos do Espírito e da Palavra
O tentador tentou manipular a Palavra de Deus, utilizando-se dela de forma maliciosa, sensacionalista, oportunista. Mas Jesus, a Palavra Vivente do Pai , o desmascara e devolve à Palavra o seu lugar, a sua dignidade. A Palavra, nos lábios do tentador, tendo sido desfigurada, foi oferecida a Jesus, por este, não como alimento, mas como veneno, algo sufocante e maléfico. Mas Jesus sabe se alimentar da verdadeira Palavra “que sai da boca de Deus”, sabendo rejeitar aquela deturpada, saída de “outras bocas”. Ele sabe que apenas a que sai da boca de Deus é DABAR, palavra EFICAZ, que realiza o que promete, sem engano e sem ilusão. Jesus sabe que somente a Palavra “que sai da boca de Deus” “ não volta para ele sem efeito, sem ter realizado o que ele quer e sem ter cumprido com sucesso a missão para a qual ele a mandou ” (Is 55,11). Com Jesus, também nós poderemos vencer! Um ótimo retiro de 40 dias para cada um de nós ao longo deste tempo quaresmal.
Só damos conta porque somos movidos pelo mesmo Espírito que moveu e conduziu a Jesus. Repletos do Espírito e conduzidos pelo Espírito, seremos capazes de, como Jesus e com Jesus, vencer as tentações, enfrentá-las com determinação e não ceder. Mais. Lucas diz que “ Jesus não comeu nada nesses dias e, depois disso sentiu fome ” (Lc 4,2). O que foi capaz de sustentar Jesus, mantê-lo de pé, na fazê-lo desfalecer? A resposta, a meu ver, é bem clara: o nutrimento da Palavra . Jesus, repleto do Espírito, alimentado pela Palavra resistiu. Todas as tentações foram combatidas com uma referência acertada da Palavra de Deus, pronunciada pela boca da Palavra feita Carne .