Relato da criação da mulher
No princípio... ... Javé Deus disse: não é bom que o homem esteja sozinho. Vou fazer para ele uma auxiliar que lhe seja semelhante... ... então, Javé Deus tomou uma costela do homem e no lugar fez crescer carne. Depois, da costela que tinha tirado do homem, Javé Deus modelou uma mulher, e apresentou-a para o homem. Javé Deus os formou à sua imagem e semelhança: homem e mulher, ele os formou. À mulher, Javé Deus disse: Tu, mulher, compreende bem o significado, a altura e a profundidade deste nome. A ti, darei os mais sublimes dons, dentre os quais, o da maternidade . Através deste dom serás vocacionada a ser promotora e cuidadora da vida. Por meio da tua maternidade, sê fecunda: Gera, cuida, educa, acompanha, aprende a ser parteira da vida em todas as suas dimensões. Faz desabrochar em ti a minha imagem: dou-te como companhia a minha fecundidade criativa , a fim de que tu continues comigo,
Meu ser é canto. Meu ser é encanto. Meu ser é dança. Meu ser é pranto. Ser feminino: Consagrado! Santo! Sou mulher-feminina, Sou humana-divina, Maria de Deus, De mim mesma,da vida! De vindas e idas!
Aprende a escutar a minha voz na tua consciência por meio dela. Purifica-a cada dia mais a fim de que nela, minha voz te seja sempre familiar. Tua aparência de fragilidade, na verdade, Oculta a tua grande riqueza: a tua força, o teu brio e a tua inteireza. Àqueles que souberem ultrapassar os limites da superficial aparência, tu os acolherás em teu coração materno e os alimentarás, saciando-os com a tua divina sabedoria, cuja origem está em mim. Vai, mulher! Caminha com coragem e pisa com firmeza pelo chão em que teus pés tocarão; sou eu mesmo que te cumulo de dignidade. Sê fiel na tua missão que hoje te confio: a de “maternizar” a terra que criei. Sonho, um dia, caminhar contigo por teus caminhos como um semelhante à tua humanidade – eu, que te criei semelhante à minha divindade! E quando chegar este dia, tomarei emprestado o teu útero e farei dele minha morada e meu teto. Tu me trarás à luz, a mim, que te chamei à existência! Na tua escola aprenderei contigo a ser humano, a fim de ensinar a ti a aos outros seres humanos a aperfeiçoarem-se no chamado a serem divinos. Tornar-me-ei carne na tua carne e teu feminino se revestirá de plena beleza. Sim, mulher! Vai, estou contigo, não tenhas medo! Sê uma bênção!
inventando e re-inventando a criação com zelo, ternura e beleza. Teu feminino conferirá encanto e graciosidade a tudo o que tocares. Tua inteligência será refinada e aguçada por meio de um outro dom que confiro a ti em especial: o da intuição . Esta, existirá em ti como se fosse um sexto sentido.
Sou força divina, Também sou fragilidade. Com a GRAÇA e com graça Teço humanidade Em cada tempo e idade. Sou do Espírito Templo, Morada do Verbo. Lhe dou minha carne, Meu ser como teto, Ternura e afeto!
Sou eu Madalena, Todos os meus desejos, N’Ele são orientados, Também integrados, Jamais anulados.
Sou mulher para o Reino N’Ele vivo a missão. Oferto minha vida, Por Ele e com Ele Me oferto aos irmãos.
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípula de Jesus Eucarístico Mulher Consagrada