É missão do discípulo não apontar para si mesmo, mas para o Mestre. Jesus apontou para o Pai e para o Reino. Nós apontamos para Jesus, que é o caminho para o Pai. Celebrando a Memória da encarnação do Verbo na nossa história, possamos nós, estender o dia 25 de dezembro a cada dia do ano que se aproxima. saibamos nós assumir a missão de sermos anunciadores de vida e de esperança na vida das pessoas, ajudando-as a perceber que todos os dias é NATAL – pois Deus continuamente nasce na vida daqueles que dirigem para ele o seu olhar. Que a nossa presença esperançosa na vida das pessoas possa realizar muitos partos através dos quais venha à luz na vida delas uma fé substanciosa Naquele que realmente está no meio de nós como EMANUEL, Deus Conosco.
Em Deus, promessa é realidade
Com estas palavras de Bruno Forte, voltemos a nossa atenção para o Mistério que o tempo litúrgico do advento e do natal nos possibilitam celebrar. Fazemos memória deste grandioso acontecimento que muda o curso da história da humanidade: a encarnação do Filho de Deus. “ E o Verbo se fez Carne e habitou entre nós ” (Jo 1,14).
Vivemos num tempo em que muitas promessas são feitas. O consumismo alimenta o capitalismo. E para incitar o desejo de consumo na pessoa, são feitas as mais mirabolantes promessas de bem-estar, prazer, comodidade, felicidade, prosperidade... Mas, ao mesmo tempo, contraditoriamente, cada dia nos deparamos com mais e mais pessoas desiludidas, decepcionadas, que não encontram mais sentido, imersas num profundo vazio existencial. Esperam em promessas que nunca se cumpriram. Depositaram toda a sua felicidade e esperança “cavando poços, poços rachados que não seguram a água,” (Jr 2,13) que cavaram, assistindo, frustradas, a tudo o que percebiam estar escapando de suas vidas. Urge, neste momento, da parte de todos nós que acreditamos em Promessas muito mais consistentes e reais, assumir a missão da estrela de Belém, a qual guiou os Magos do Oriente até o Menino Jesus no Presépio. Viver o Advento e banhar-se na esperança, renovar a própria fé, rever e confirmar as próprias convicções, renovando, assim o brilho do olhar e a luminosidade de Cristo em nós. Assim, renovadas, re-abastecidas e alimentadas, poderemos então ser estrelas que conduzem, setas luminosas que apontam para o mundo onde é que se pode encontrar promessas consistentes e verdadeiras.
“ O milagre da revelação traz o outro mundo para dentro deste mundo: a encarnação do Verbo faz ressoar a Palavra eterna dentro das palavras do tempo. Há, portanto, um fragmento de história que é assumido pelo Filho de Deus como local e forma da sua presença entre os homens ”. Bruno Forte
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípulas de Jesus Eucarístico