Maná – O que é isso? Uma vida que se interroga pelo pão do sentido
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípula de Jesus Eucarístico
“... Pela manhã havia uma camada de orvalho ao redor do acampamento. Quando a camada de orvalho se evaporou, na superfície do deserto apareceram pequenos flocos, como cristais de gelo. Ao verem, os filhos de Israel perguntaram: ‘ Que é isso? ’ Porque não sabiam o que era”. Ex 16,14.15
No deserto, somos alimentados pelos questionamentos que Deus provoca em nosso coração – MANÁ ? – O que é isso? Quem não se faz perguntas dificilmente encontrará respostas. As verdades mais significativas e fundamentais é que dão sentido à vida da pessoa humana. Uma vida sem “maná” – O que é isso ? – é uma vida sem perguntas. E uma vida sem perguntas, é uma vida sem busca, sem desejo, sem possibilidade de encontro com a verdade. Uma vida sem “maná” (perguntas) é uma vida que se “conforma” ao que lhe vem, na passividade. Uma pessoa que “se deixa” viver assim nunca será sujeito, protagonista da própria história, permanecendo fadada à mesmice, a uma vida sem criatividade e novidade. Jesus diz que ele é o verdadeiro pão do céu.
A Palavra feita carne, é a Palavra feita Eucaristia para a vida do mundo. Na celebração do Mistério Eucarístico, na escuta da Palavra e demorando-nos com a Presença de Jesus na contemplação Eucarística, deixemos que Ele continue nos falando e nos esclarecendo sobre nossas mais profundas interrogações. Ele é a única resposta capaz de satisfazer plenamente à nossas infinitas perguntas.
“ Senhor, dá-nos sempre desse pão ” (Jo 6,33). “ Senhor, dá-me dessa água ” (Jo 4,15). “ Eles não tem mais vinho ” (Jo 2, 3). “ Fica conosco, Senhor ” (Lc 24,29). “ Senhor, ensina-nos a rezar ” (Lc 11,1). Aproximemo-nos de Jesus, a Palavra do Pai feita Carne (Jo 1,14). Deixemos que Ele, nos comunique a verdade sobre o Pai, a verdade sobre nós mesmos. Deixemos que a sua Palavra aclare a nossa consciência e nos esclareça, conferindo sentido à nossa existência.
“ Eu garanto a vocês: Moisés não deu para vocês o pão que veio do céu, porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo... Eu sou o pão da vida... ” (Jo 6,32ss). Ele é a verdadeira pergunta que nós precisamos nos fazer e ele é a única resposta capaz de transformar em certezas todas as interrogações que trazemos no coração. “Man-hu?” – “Maná?” – “O que é isso?” E é ele mesmo quem nos responde: ... Eu sou o Pão da vida ... Eu sou a Porta das ovelhas ... Eu sou a Luz ... Eu sou o Bom Pastor ... Eu sou a Ressurreição e a Vida ... Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida EU SOU... YHWH... E nesta relação ele se comunica a nós e nos diz que a sua origem está em JAVÉ e que n’Ele nós também podemos ser em Javé e viver saciados nesta fonte inesgotável. A pessoa capaz de se interrogar pelo sentido é uma pessoa de com-templação : sabe entrar no templo da realidade e permanecer aí por um tempo, em busca de essencialidade. E isso tem a ver com inteligência . Inteligente é aquela pessoa que sabe intus legere – ler a realidade a partir de dentro, de seu cerne, deixando a superfície, a borda, para ir mais adiante, “avançando para águas mais profundas” (Lc 5). Nós vivemos num tempo carente de profundidade. Tentam nos convencer de que nos basta a superficialidade. Somos incentivados a: - relações superficiais, - conhecimentos superficiais, - aprendizados superficiais, - espiritualidade superficial. Sabemos sobre uma imensidão de coisas e realidades e não nos detemos no significado mais profundo delas. Sabemos tudo e corremos o risco de não sabermos de nada. Porém, não basta apenas nos contentarmos com a pergunta: “ O que é isto”? É sem dúvida já um bom começo. Mas, se quisermos avançar, precisaremos dar conta de nos fazermos uma outra pergunta: “ O que isto significa” ? Então, seremos capazes de sair da condição de superficialidade e mergulhar no templo, no interior, onde habita a essência da realidade.