Contudo é necessário caminhar. Caminhar para dentro de si para se encontrar e para fora de si para encontrar com o outro. É importante ter em mente que a criança quando consegue dar os primeiros passos fica feliz e parece querer mostrar a todos que já consegue se equilibrar sobre as perninhas e andar. Mas é ao longo da vida que ela aprende a caminhar, porém não se poderá nunca esquecer a alegria dos primeiros passos. Por isso devemos caminhar alegres pela vocação de sermos caminheiros. Se às vezes temos vontade de desistir no meio do caminho é porque precisamos da ajuda de um outro caminheiro e às vezes somos fortes o bastante para ajudar um outro caminheiro cansado ou a margem do caminho.
Os caminhos da vida
Ir. Rosane Cordeiro Fiúza Discípulas de Jesus Eucarístico
Há caminhos com cachoeiras, cascatas, águas cristalinas que refazem o espírito e alimentam a alma. Existem caminhos retos que de repente se transformam em morros e por incrível que pareça existem caminhos marítimos. Todo homem precisa descobrir qual é o seu caminho, pois nele está o sentido de sua luta pela vida, pela felicidade. Não existe caminhante sem caminho e não existe caminho se não houver caminhante. Em cada curva do caminho existe um desafio e em cada desafio existe a bonita luta de resgatar o sentido do caminhar. Quem parar em um ponto do caminho não terá condições de ver as surpresas das curvas, as belezas das cascatas. Não desafiará o medo dos animais silvestres encontrados nos caminhos desertos, não saberá que para subir o morro deve-se colocar a primeira marcha e que a hora de descer será suave e às vezes mais difícil se a descida estiver cheia de entulhos e te levar para onde não queiras.
Na vida existem vários caminhos; caminhos retos e tortuosos, caminhos gramados e caminhos cheios de mato. Por vezes o sol aparece e por vezes chove demais. O segredo de cada caminho é saber caminhar. Caminhar sem ansiedade faz bem ao coração; deve-se tentar caminhar sereno, seguro mesmo que às vezes o caminho pareça sombrio. Cada caminho tem detalhes que somente seus caminhantes podem perceber. Se percorrermos o caminho abertos à ele, teremos entusiasmo para contar a experiência que ele nos oferece, e em cada ponto de descanso teremos a oportunidade de recuperarmos as forças para prosseguir adiante.