Páscoa: Vida nova em Cristo e compromisso com a vida!
A morte de Jesus só pode ser compreendida à luz da totalidade de sua vida. Antes de tentarmos desvendar os mistérios da morte do Filho de Deus , precisamos nos deter no mistério da sua encarnação , da sua missão e da totalidade de sua vida . Daí a importância do período da quaresma, que nos convidou a um confronto da nossa vida com a ida de Jesus. A “entrega’ de Jesus culmina na cruz, mas tem seu início a partir do momento em que a Trindade “decide” a encarnação do Verbo. Esta mesma entrega efetiva-se na história com a encarnação do Verbo no seio de Maria “ armando, assim, a sua tenda entre nós ” (Jo 1,14). A entrega de Jesus vai se dando à medida em que revela o Pai através das suas Palavras, da sua pregação e do anúncio do Reino, da relação que vai tecendo com os destinatários do Reino: todos os homens e mulheres de “boa vontade”, mas sobretudo os pequenos, os pobres, os últimos e excluídos. Finalmente, a entrega de Jesus culmina no “ ... Tomai e comei... Tomai e bebei... ” (Mt 26,26-27) e no “ Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito ” (Lc 23,46). Toda a vida de Jesus foi entrega na liberdade em favor das pessoas “Ninguém tira a minha vida... eu a entrego livremente” (Jo 18,4s). E esta entrega é expressão do seu amor para conosco, pois “Ninguém tem maior amor do que aquele que entrega a vida pelos amigos”. Celebrar a Páscoa é, pois, celebrar a vida! É acolher a vida que Jesus gratuitamente nos oferece. Mas, celebrar a Páscoa é ao mesmo tempo, comprometer-se com a promoção da vida. O Ressuscitado nos convida a que nos dirijamos à Galiléia, a fim de nos dar as últimas instruções e recomendações (Mc 16,7). Ele nos convida a, no cotidiano da vida (Galiléia), o lugar habitual da nossa missão, darmos continuidade, como discípulos e discípulas, à sua missão de entrega da vida, anunciando a sua Boa Notícia, testemunhando o amor fiel do Pai que nos torna vencedores no seu Cristo. Uma vez que acolhemos a vida que ele nos ofereceu, somos convidadas a partilhar, condividir. Celebrar a Páscoa é, pois, assumir um compromisso de sermos anunciadores da Ressurreição, da libertação, da vida nova que Jesus nos oferece. A todos nós, uma FELIZ PÁSCOA! Uma ótima celebração da VIDA; da vida nova em Cristo!
Ir. Andréa dos Santos Lourenço
Os quarenta dias de caminhada quaresmal foram para nós um grande convite que ressoou desde a Quarta-feira de Cinzas até o início do Tríduo pascal: CONVERTEI-VOS ! Ao iniciar o tempo da quaresma, fomos marcados com as cinzas sobre a fronte, sendo admoestados com a expressão: “ CONVERETEI-VOS E CREDE NO EVANGELHO ”! Diariamente a Liturgia nos ofereceu como alimento a Palavra de Deus, convidando-nos a confrontar a nossa prática de vida com o projeto de Deus para nós revelado em sua plenitude através da pregação e da práxis de Jesus. Na Semana Santa, percorremos com Jesus seus últimos passos na missão de revelar o “ Rosto ” e o Reino de Deus Pai . A morte “trágica” de Jesus na cruz e todo o processo de sua condenação revelam para nós a fidelidade de Jesus até as últimas conseqüências, até ao extremo, até o fim: “ Ele, que tinha amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim ” (Jo 13,1).