Busca constante
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípulas de Jesus Eucarístico No “claro-escuro” da fé, quando se tem mais sombras do que luzes, diante dos olhos, Senhor, sê meu guia, aquece meu frio, ilumina o caminho; que eu nunca me canse da busca constante. Quando o silêncio vier me invadir, e na procura não mais te ouvir, aumenta, então, Senhor, meu desejo e que não me devaste o medo. Quero, Senhor, nunca me acostumar, na novidade eu quero viver. A cada passo que, então, conseguir dar, poderei sempre me maravilhar. Na aventura da fé te revelas, mas, mesmo assim, permaneces promessa, pra que eu não pense já ter conseguido o que há por trás da busca que não cessa.