Releituras
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Com o ser sossegado, o coração calado Com um olhar aguçado e caçador, Busco sentidos, motivos, porquês, Pois a quietude não é passiva; Traz consigo um movimento compassado, Harmonioso, delicado. No caminhar do pensar, ouço a vida falar Das histórias do ontem e do hoje. Na ciranda da vida, contemplo o bailado: Há movimentos desritimados, Mas também há cadência, harmonia, Há desarranjo e sintonia. Pôr-se diante da vida exige coragem: É preciso mexer na volumosa bagagem. Remexendo daqui e dali, Arrumando, acolhendo, ajustando; Com pessoas e fatos se encontrando, Escutando e resignificando. Quem não quer trabalho, não cresce: Não caminha, se entristece. Sinta dor pra curar a ferida: Eis um dos grandes segredos da vida. Quem não se aventura no desafio Perde-se no caminho. Mas, quem não tem medo de perder Ganha-se a si mesmo, sem saber. O resultado traz festa, alegria, Dá à vida o sabor de viver, O gosto por querer caminhar, Liberdade de amar e sonhar. Ardor, desejo, contínua esperança, Simplicidade, coração de criança, Integram presente, passado e futuro, São como luz no escuro. É o desejo que nos move o ser. Não basta apenas saber: Com o que sei, o que fazer?