Paradoxos
Ir. Andréa dos Santos Lourenço No mistério da vida Há mistérios de morte. Nos assusta saber, Pois pensamos conosco: Então, qual será nossa sorte? Ressurreição, libertação: Contemplar o Ressuscitado E também contemplar o Crucificado? Tudo isto é pura contradição, Ou será que há razão, conexão? Na beleza da árvore, Na singeleza da flor, Degustando do fruto o sabor, Nem me dou conta que um dia A semente fez a experiência da dor. A delicada semente, Quem diz que não sente? Sentiu solidão, o escuro da terra, Arrebentou-se ao desconhecido. Mas neste exato momento Descobriu seu verdadeiro sentido. É assim que a vida caminha: Entre luzes e sombras Provamos a dor e a alegria, Se encontrássemos nisto a harmonia, Que bom que seria! Deus da vida, meu Pai, Eu te faço uma prece: Que nunca desistamos de viver. Apesar dos desafios do caminho, A vida vale à pena acontecer, A vida vale, tem brilho.