Caminhante da esperança
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípulas de Jesus Eucarístico Eis-me aqui: sou caminhante da esperança. Minha vida, eu a teço no cotidiano de minha existência. No tear da esperança, me seguro ao fio da fé. No caminhar, sigo rumo a JAVÉ, meu pai. Na esperança, confio como criança. A criança que em mim habita desbrava, busca, procura, faz pausas e acelera. O caminho, eu o descubro a cada dia. A cada curva que na estrada desponta, por vezes, meu coração se desaponta. Mas, dentro em mim há algo mais forte, que me permite contemplar meu norte, e até mesmo sem ver claramente, continuo seguindo em frente. A única certeza na qual acredito, é a promessa que trago comigo, cuja realização eu persigo: “Sai desta terra, eu irei contigo, em outra terra te darei abrigo... ... na terra nova em que vais habitar, tua descendência vou multiplicar, como a areia que está no mar, e a toda ela vou ABENÇOAR”. Com esta PALAVRA faço ALIANÇA, e mesmo quando meu coração cansa, na espera de que ela se cumpra, continuo a caminhar, na luta, crendo e esperando que irá chegar o tempo certo de se realizar as maravilhas que meu Pai, JAVÉ, me prometeu ao dar-me o dom da FÉ. JAVÉ promete e cumpre a sua fala, me deu a terra, a descendência, a bênção. Mas, minha busca, esta nunca pára. A minha fé me faz itinerante; minhas origens: arameu errante. Disto me orgulho, pois ao caminhar, vou descobrindo o novo que está lá. Sou com meu povo uma grande porção, que na história, a cada geração, se alimenta ainda da fé primeira, rumo à Pátria, aquela derradeira, a terra nova, enfim definitiva, na qual continuará jorrando leite e mel, cuja PRESENÇA, enfim, verei sem VÉU.