Amar? Amar! Amar...
Ir. Andréa dos Santos Lourenço Discípula de Jesus Eucarístico Amar? Amar! Amar... Que é amar? Amar é viver, é sofrer por amar. É ter coragem de perder pra ganhar. É saber sentir dor pra curar, saber dar sem saber se o que foi oferecido, será de alguma forma acolhido, devolvido, retribuído, restituído. Dar sem ter que receber. Apenas amar, ser, estar, permanecer: É passividade ativa, sentida, construída, com consciência de ser. Nem sempre se pode “fazer”. Amar é acolher o limite. O limite de si, o limite do outro. Amar sem dar nó, amar sem domínio ou apego, no sereno sossego, amar sem medo,]amar sem ter dó, na dádiva do desinteresse, sem posse, sem recompensa. mas, quem ama, não pensa? Pensa com a razão, e também com o coração. Quem ama pensa com a alma, com a consciência clara. Numa integração, onde pulsa uma lógica inovadora. Só compreende quem do amor faz a experiência, quem sabe ficar com a essência. Amar sem reter, amar sem temer! O medo espanta o amor: fragiliza-o, retira-lhe o vigor. Amemos, ainda que na dor do parto, que traz à vida realidades fecundadas no gozo e no sofrimento, na agonia e no alento. Na gravidez do ser, resta saber, que viver é dom e conquista, é nascer, sendo artista, buscando criatividade para entrar em outra realidade. Amar é nascer! Amar é morrer! Se nasce quando se morre, na morte que busca sentido, que enfrenta o desconhecido. O importante é entrar no processo, é consequente o progresso. Nosso Deus, criador do universo, nos acompanha em cada passo, com a ternura do seu abraço.